Torquemada na Venezuela

A peça “Torquemeda”, escrita por Augusto Boal durante a prisão durante da Ditadura Militar brasileira, foi também encenada na Universidad Central de Venezuela pelo diretor Herman Lejter em 1973.

A peça foi montada com direção de Augusto Boal pela primeira vez em 1971 na Feira Latino-americana de Opinião. Como relatava as violências sofridas dentro do cárcere durante a ditadura militar no Brasil, o governo brasileiro tentou impedir que a peça fosse encenada em outras partes do mundo. Como reação, diversos diretores latino-americanos fizeram apresentações da peça em seus países. É o caso da montagem universitária na Venezuela, assim como no Peru e na Colombia.

AB.ETf.VZ.001

Registro de encenação de “Torquemada” na Universidad Central de Venezuela, em Caracas, 1973. Imagem disponível em nosso banco de dados online:  http://www.acervoaugustoboal.com.br/i

Torquemada Venezuela (dragged)

Capa do programa da peça.

 

Torquemada no México

A peça Torquemeda, escrita por Augusto Boal durante a prisão durante da Ditadura Militar brasileira, foi encenada no Centro Libre de Experimentación Teatral y Artística de la Universidad Nacional Autónoma de México (CLETA – UNAM) em 1973.

O grupo de teatro venezuelano Rajatabla e seu diretor Carlos Giménez chegou ao México em 1972. Enquanto iniciava a montagem de Torquemada, Carlos Giménez foi deportado, violentamente retirado de sua hospedagem no México e colocado em um avião de retorno a Buenos Aires.

 

AB.ETOt.001.jpg

Capa do Programa da peça encenada no México em 1973. Acesse em: http://www.acervoaugustoboal.com.br/

O espetáculo teve sua estréia em maio de 1973 no Foro Isabelino e ficou dois meses em temporada, dedicando as apresentações ao diretor Carlos Giménez.

 Sobre a estreia de Torquemada, Gerardo de la Torre conta em seu livro “Torquemada: contra viento y marea”:

 

A poucos dias da estreia, todo mundo – moças e rapazes cansados, porém cheios de vitalidade – correm, se preocupam em pintar as paredes, colocar a iluminação, varrer os camarins, colocar os botões no figurino. Ensaiam a tarde, de noite e de madrugada, se criticam e se auto-criticam.

Torquemada em Buenos Aires

Augusto Boal deixou o Brasil em 1971, após ser liberado do Presídio Tiradentes em São Paulo, onde foi preso e torturado durante a Ditadura Militar brasileira.
 
Em Dezembro de 1971 encenou a peça “Torquemada” na New York University, com alunos da Universidade, em que a figura do inquisidor espanhol Torquemada, conhecido por sua crueldade durante o reino de Aragão e Castela de 1478 a 1494, retoma o sistema corrupto e violento que se instaurava no continente latino-americano.
AB.ETf.BUA.011

Ator em cena de “Torquemada”

Em seguida, Boal e sua família seguiram para o exílio em Buenos Aires, onde residiram até 1976. A peça foi montada e dirigida por ele em Buenos Aires em junho de 1972 no T
eatro do Centro e em outubro do mesmo ano na Sala Planeta. Sobre a apresentação de “Torquemada” em Buenos Aires, Augusto Boal escreveu em seu livro “Hamlet e o filho do padeiro”:
 
“Dirigi Torquemada. Não acreditava no que me havia acontecido. Precisava vê-lo acontecer fora de mim, em cena, para que me pudesse ver, separar-me de mim. Eu e a palavra, eu e o ator. Só assim me entenderia. Não me bastava espelho nem memória: precisava me ver em alguém que me roubasse o nome, o Augusto Boal que eu pensava ser, que trazia colado ao rosto, às mãos, ao peito. Já não sabia quem eu era ou tinha sido. Queria ouvir palavras que pronunciei na tortura. Voz empostada de ator bem treinado reproduzindo gritos roucos. Ver-me, longe de mim. Dirigir-me como dirijo atores.”
Torquemada BuA (dragged)

Recorte de publicação de Augusto Boal em “El milagro brasileño – Diario dependiente del State Department”, em Buenos Aires.

Torquemada na New York University

A peça “Torquemada”, escrita por Augusto Boal durante sua prisão na Ditadura Militar foi encenada e dirigida por ele pela primeira vez em Dezembro de 1971 na New York University, com alunos da Universidade.

AB.ETf.NY.003

Foto de Mark Kane

 

“Torquemada conta minha vida na cela do Presídio Tiradentes, tenta contar a vida do povo no imenso presídio que transformaram o Brasil”, Boal diz em seu texto “Trajetória de uma dramaturgia”, publicado em 1986 no livro Teatro de Augusto Boal – volume 1 pela Editora Hucitec.

Em 1976 o Itamaraty tenta impedir a encenação da peça mesmo em espaços fora do Brasil e em muitos lugares são planejadas leituras dramatizadas de seu texto em protesto a censura.

Acesse mais fotos de “Torquemada” em nosso acervo:http://www.acervoaugustoboal.com.br/

Augusto Boal e o México

Em setembro o Instituto Augusto Boal dedicará suas publicações a difusão do Teatro latino-americano, apresentando diversos grupos e suas conexões com o trabalho de Augusto Boal.

Após o Ato Institucional nº5 em 1968 e a radicalização da censura no Brasil, o Teatro de Arena faz uma turnê em 1969 pelos Estados Unidos, Peru, Argentina e México. A proximidade do trabalho de Augusto Boal com o México se manteve por muitos anos.

AB.ABOf.013

Elenco do Teatro de Arena em turnê na Cidade do México

O Teatro de Arena apresentou as peças Arena conta Zumbi Arena conta Bolívar (escrita por Boal em 1969 e censurada no Brasil) no Teatro Degollado, em Guadalajara.

AB.ABOt.060 aw

Programa de Arena conta Zumbi (1969) no Teatro Degollado em Guadalajara, México

Em 1971 Augusto Boal escreveu a peça Torquemada, que relatava a sua prisão e tortura ocorrida no Brasil e em 1973 o grupo mexicano CLETA UNAM (Centro Libre de Experimentación Teatral y Artística da Universidad Nacional Autónoma de México) montou a peça por vários lugares da América Latina, participando dos festivais de Manizales na Colômbia e Caracas na Venezuela. As apresentações da peça foram dedicadas ao diretor Carlos Giménez, deportado logo após iniciar os ensaios com o grupo.

AB.ETOt.001

Programa da apresentção de Torquemada pelo grupo CLETA-UNAM (1973)

Todas as imagens aqui utilizadas estão disponíveis em nosso Banco de Dados online: http://www.acervoaugustoboal.com.br/

Torquemada no Peru

Em 1973 foi feita uma montagem da peça escrita por Augusto Boal “Torquemada” pelo Teatro Universitario de Trujillo. Augusto Boal escreveu o texto em 1971 após ser preso e torturado pelo Regime Militar. No livro “Teatro de Augusto Boal”(1968) o autor diz: “Torquemada” conta minha vida na cela do Presídio Tiradentes, tenta contar a vida do povo no imenso presídio em que transformaram o Brasil.”

Crítica do poeta peruano Manuel Ibañez Rosazza publicada em 1974:

 

torquemadaperu

Para melhor visualização da matéria clique aqui

Acervo Instituto Algusto Boal

O cartaz de Torquemada no Teatro Universitario de Trujillo está também em nosso acervo online: http://www.acervoaugustoboal.com.br/