Torquemada na Venezuela

A peça “Torquemeda”, escrita por Augusto Boal durante a prisão durante da Ditadura Militar brasileira, foi também encenada na Universidad Central de Venezuela pelo diretor Herman Lejter em 1973.

A peça foi montada com direção de Augusto Boal pela primeira vez em 1971 na Feira Latino-americana de Opinião. Como relatava as violências sofridas dentro do cárcere durante a ditadura militar no Brasil, o governo brasileiro tentou impedir que a peça fosse encenada em outras partes do mundo. Como reação, diversos diretores latino-americanos fizeram apresentações da peça em seus países. É o caso da montagem universitária na Venezuela, assim como no Peru e na Colombia.

AB.ETf.VZ.001

Registro de encenação de “Torquemada” na Universidad Central de Venezuela, em Caracas, 1973. Imagem disponível em nosso banco de dados online:  http://www.acervoaugustoboal.com.br/i

Torquemada Venezuela (dragged)

Capa do programa da peça.

 

Homenagem a Inês Etienne, Estrella Bohadana e a todas as vítimas de tortura do Estado

Cartaz OcupaDops7RGB (2)Sábado 27/06 – programação a partir das 16hs:

  • Sarau do Cárcere
  • Esquetes Teatrais de atores da Escola Martins Pena
  • Projeção do curta “Ser Tão Cinzento”, de Henrique Dantas + bate-papo com Sylvio Tendler
  • Homenagem a Inês Etienne Romeu: o Coletivo Criadouro apresenta a esquete “Memórias – Cena Curta a partir de depoimento de Inês Etienne Romeu”
  • Homenagem a Estrella Bohadana
  • Bloco “Filhos da Martins”
  • Exposições: “Saudações Carcerárias” cedida pelo Grupo Tortura Nunca Mais/RJ e “Ausências” do fotógrafo argentino Gustavo Germano
  • Intervenções artísticas, projeções de imagens e depoimentos de amigos e familiares em homenagem a Inês Etienne e Estrella Bohadana
  • Oficina de Stencil e venda de camisetas do Ocupa Dops
  • Pintura de faixas e grafite

O golpe me fez nascer

por Julian Boal – via Carta Capital

miniDizer que o golpe impactou a minha vida seria pouco. De certa maneira, o golpe é que me fez nascer. Afinal o golpe é que fez que meus pais tivessem que fugir para Argentina, onde fui concebido e nasci.

O golpe é o que faz com que até hoje, em qualquer língua que fale, eu tenha sotaque. Nos dois países em que vivi mais tempo meu nome causa estranheza na maioria. De tantas vezes que me perguntaram de onde venho já tenho uma resposta pronta para tentar explicar os vais e vens da minha vida em menos de um minuto. Aqui no Rio é comum eu receber volantes para conhecer Angra dos Reis ou ver o Cristo Redentor. Nas mesas dos bares nem fico mais impaciente quando me dão o cardápio em inglês. Continuar lendo

Comissão da Verdade de SP lança livro “Infância Roubada”

convite_Comissau0303o_01

A Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva” vai lançar no dia 5 de novembro de 2014 o livro “Infância Roubada: crianças atingidas pela Ditadura no Brasil”. Esta obra é resultado do ciclo de audiências “Verdade e Infância Roubada” realizadas em maio de 2013 e contém as histórias das mães e filhos de presos políticos, perseguidos e desaparecidos da ditadura. O lançamento acontecerá a partir das 19h na Biblioteca Mário de Andrade com distribuição gratuita do livro aos presentes. Continuar lendo

Colóquios e Exposições sobre os 50 anos do Golpe

1) Exposição “Resistir é Preciso…”, criada pelo Instituto Vladimir Herzog, é um projeto pioneiro, de longo alcance, que apresenta fragmentos da história do Brasil, a partir das publicações e das pessoas – jornalistas, escritores, estudantes e ativistas políticos – que resistiram à ditadura militar brasileira através da palavra impressa.

Local: CCBB (Rua Primeiro de Março, 66, Centro)
Data: Até 28 de Abril
Link: http://www.resistirepreciso.org.br/ccbb/

2) Exposição “Em 1964 – Arte e cultura no ano do golpe”

O Instituto Moreira Salles dedicará parte de sua programação anual para discutir os 50 anos do golpe militar que instalou a ditadura no Brasil. Em 1964 propõe uma imersão neste momento decisivo para o país a partir do ponto de vista de artistas e intelectuais cujos acervos estão sob a guarda do IMS ou que têm vínculos diretos com suas atividades.
Local: IMS (Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea)
Data: até 23 de Novembro
Link: http://www.artehall.com.br/agenda/em-1964-arte-e-cultura-no-ano-do-golpe-no-instituto-moreira-salles-rio-de-janeiro/

Continuar lendo