Censura nunca mais!

“Como pode trabalhar um artista em ditadura, se o artista é aquele que, livre, cria o novo, e a ditadura é aquela que, fazendo calar, preserva o velho? Arte e ditadura são incompatíveis. Essas duas palavras se odeiam!”

Augusto Boal escreve sobre a Censura durante a Ditadura Militar em sua autobiografia “Hamlet e o filho do padeiro”.

AB.AFOt.045 aw.jpg

Na foto: Documento escrito pelo Teatro de Arena de São Paulo denunciando a Censura e repressão ocorrida durante a exibição da Primeira Feira Paulista de Opinião em 1968.

#CensuraNuncaMais #contraacensuraedifamacao #342Artes

“Filha Moça” – peça censurada de Augusto Boal, 1956

A peça aqui publicada foi escrita por Augusto Boal em 1956 e inteiramente proibida pela censura.

É a peça de um principiante, uma história aparentemente ingênua. Porém, coloca questões interessantes e, detalhe não negligenciável, deveria ser montada pelo Teatro Experimental do Negro.

Destacamos um trecho do texto do censor, o senhor José Américo Cesar Cabral (vale ler o texto integralmente, o sr. Cabral parece muito se ufanar de sua condição emérita). Diz o sr Cabral:

“É lamentável que o Teatro Experimental do Negro escolha peças que ofendem a moral e os bons costumes para apresentar aos seus sócios, pessoa humildes e sem a devida compreensão (…)”

Sem a devida compreensão? O que é que os sócios do Teatro Experimental do Negro deveriam compreender?

Acho que não precisa de muita tradução, porém traduzindo, de acordo com a censura, o teatro deverá ser um modelo de comportamento e o modelo deverá ser a família branca, de classe média, ocidental e cristã.

O resto será proibido e censurado.

Filha Moça

Companhia Antropofágica realiza II Feira Antropofágica de Opinião em São Paulo

Encontro artístico é inspirado em feira de 1968 do idealizador do Teatro do Oprimido Augusto Boal. E questiona: “O que Pensa Você do Brasil de Hoje?

IMG_1539

São 40 grupos de teatro em quatro dias de eventos. São músicos, poetas, artistas plásticos e coletivos de cinema. Todos em torno de uma pergunta: “O que Pensa Você do Brasil de Hoje? Este é o mote da II Feira Antropofágica de Opinião produzida pela COMPANHIA ANTROPOFÁGICA, no evento que acontece de 04 a 07 de junho, das 14h às 22h, no Memorial da América Latina, na Barra Funda, São Paulo. Continuar lendo