A traviata e a sambópera de Augusto Boal

No ano de 1999 o dramaturgo Augusto Boal inaugura a sambópera, a releitura de obras operísticas da tradição clássico-romântica. Nesta releitura o dramaturgo problematiza a questão do multiculturalismo no seio da sociedade brasileira.  “A Traviata: A Metáfora do Desejo” foi encenada em 2002, no Teatro Glaucio Gil com a direção geral de Augusto Boal e a direção musical de Jayme Vignoli.

Na foto, a atriz Ana Baird em cena.

#dobaudoboal

Traviata6 (2).jpeg

Teatro Fórum com a peça Panchito Gonzalez

No dia 11 de abril de 2017 na Casa Rio, a Companhia Atores da Fábrica encenou o texto “Panchito Gonzalez”, uma adaptação do texto do dramaturgo argentino Osvaldo Dragún. A encenação faz parte o ciclo Teatro e Economia, idealizado pelo Instituto Augusto Boal e o economista Luiz Mario Behnken e teve a participação de Eduardo Pinto, professor da Escola de Economia da UFRJ.

A ideia é promover o debate sobre questões econômicas a partir de cenas teatrais. Esta cena lidava com a questão do desemprego e logo após a encenação, foi realizado um Teatro Fórum utilizando as técnicas de Teatro do Oprimido.

No canal no youtube do Instituto Augusto Boal há todo o material deste dia e o vídeo do Teatro Fórum pode ser conferido neste link.

A Tempestade de Boal – O Globo

Que bom!

A tempestade de Boal - O Globo

Artigo no Globo em 08 de março de 2017

Vou domingo a Porto Alegre ver a estreia! O Clima tempo diz que vai chover mas quem é que se importa? A final nada mais coerente em se tratando de uma tempestade alem do mais estamos acostumados a chuvas e trovoadas e com os Atuadores da Tribu teremos certamente boas tempestades dignas do peixe que o Boal foi.

unnamed

Peixes desenho de Augusto Boal

Vivam os peixes, as tempestades e os Atuadores!

Opinião no IMS

“O Instituto Moreira Salles dedicará parte de sua programação anual para discutir os 50 anos do golpe militar que instalou a ditadura no Brasil. Em 1964 propõe uma imersão neste momento decisivo para o país a partir do ponto de vista de artistas e intelectuais cujos acervos estão sob a guarda do IMS ou que têm vínculos diretos com suas atividades.

Em 8 de fevereiro, às 19h, o IMS reviverá o show Opinião, espetáculo que marcou 1964. As músicas serão interpretadas pela cantora Joyce e pelo grupo Casuarina. O jornalista e escritor Sérgio Cabral participará contando histórias do show original. Na época, mais de 100 mil pessoas em várias cidades assistiram ao espetáculo, que tinha como proposta discutir a complexidade social e política do momento.”

IMS - Opinião

Show Opinião

Data: 8.02, às 19h

Ingressos:
R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Venda de 2 ingressos por pessoa. Sujeito a lotação.
Mais informações em: http://ims.uol.com.br/em-1964/D1336

*Material retirado do site do IMS*