A peça aqui publicada foi escrita por Augusto Boal em 1956 e inteiramente proibida pela censura.

É a peça de um principiante, uma história aparentemente ingênua. Porém, coloca questões interessantes e, detalhe não negligenciável, deveria ser montada pelo Teatro Experimental do Negro.

Destacamos um trecho do texto do censor, o senhor José Américo Cesar Cabral (vale ler o texto integralmente, o sr. Cabral parece muito se ufanar de sua condição emérita). Diz o sr Cabral:

“É lamentável que o Teatro Experimental do Negro escolha peças que ofendem a moral e os bons costumes para apresentar aos seus sócios, pessoa humildes e sem a devida compreensão (…)”

Sem a devida compreensão? O que é que os sócios do Teatro Experimental do Negro deveriam compreender?

Acho que não precisa de muita tradução, porém traduzindo, de acordo com a censura, o teatro deverá ser um modelo de comportamento e o modelo deverá ser a família branca, de classe média, ocidental e cristã.

O resto será proibido e censurado.

Filha Moça

“Filha Moça” – peça censurada de Augusto Boal, 1956

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s