2 x Augusto Boal (do Blog O PATATIVA)

Boal fala de Guarnieri – Na cobertura que a imprensa deu ao falecimento de Gianfrancesco Guarnieri, senti uma falta imensa do depoimento de Augusto Boal, seu grande companheiro de trabalho e de lutas, e com quem Guarna compôs Arena Conta Zumbi e Arena Conta Tiradentes, duas das obras mais fundamentais de nosso teatro moderno.

Os dois se conheceram em 1956. Boal voltava dos Estados Unidos, onde tivera aulas de teatro com John Gassner (1902/1967) na Escola de Arte Dramática da Universidade de Columbia, e no Actor’s Studio. Por intermédio de Sábato Magaldi foi para o Arena, onde José Renato procurava alguém novo para dividir com ele as funções de diretor do grupo.

Guarnieri, na famosa foto de Ratos e Homens

O primeiro trabalho que reuniu os dois foi Ratos e Homens, de John Steinbeck, tradução de Brutus Pedreira, estreado em setembro de 56. O papel de George rendeu a Guarnieri o prêmio APCA de ator revelação daquele ano. E os dois não pararam mais até 1970, quando Boal dirigiu Guarnieri em A Resistível Ascensão de Arturo Ui, de Brecht. É importante, inclusive, deixar devidamente consignado que Boal estava inicialmente cotado para dirigir Eles não usam Black-Tie, da qual chegou até a participar da escolha de elenco. Só não dirigiu pq o Arena andava por uma de suas crises bravas financeiras, e Boal foi obrigado a aceitar o salário que lhe ofereciam no Teatro Moderno, de Danilo Bastos (marido de Dercy Gonçalves na época), para dirigir Society em Baby-Doll de Henrique Pongetti, com Odette Lara. Assim, segundo o próprio Boal, “ensaiei Baby-Doll pensando no Black-Tie” que acabou brilhantemente dirigido por José Renato.

Boal e Guarnieri, tal como aparecem no programa da peça Ratos e Homens (1956)

Seria inútil querer escrever rapidamente sobre a parceria desses dois grandes mestres, talvez a maior do teatro brasileiro. Ela merece um tópico único que escreverei em breve. Neste, trago a vocês a mensagem que Boal generosamente escreveu, a meu pedido, sobre seu amigo e parceiro, em 1° de agosto de 2006, dez dias após o falecimento de Guarnieri.

Continua…

Clique aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s